DICAS

5 maneiras de economizar água

1. Procure se tem vazamentos
Eles são uma das principais causas de desperdício de água. O problema pode ser encontrado nos hidrômetros, canos alimentados pela rede ou pela caixa d’água, reservatórios subterrâneos de edifícios, torneiras ou vasos sanitários.

2. Faça uma medição individualizada para o seu apartamento
Aderindo a esta forma de medição e cobrança, os condomínios controlam o seu próprio consumo de água, diminuindo o desperdício. Assim, cada apartamento paga somente aquilo que realmente utilizar.

3. Adquira um redutor de vazão
Reduz o excesso de vazão das torneiras economizando de 20% a 70% da água e, consequentemente, seu dinheiro. Os redutores de vazão desenvolvidos pela Eco Água possuem um design que permite a instalação em qualquer tipo de torneira.

redutor de vazão

4. Aproveite a água da chuva
Estima-se que, do total da água destinada ao consumo humano, pelo menos 24% são para sanitários ou outros usos que demandam água de menor qualidade. Geralmente, esta demanda é atendida por água potável. Um sistema de aproveitamento de água da chuva é geralmente composto por coletores, tubulações, tratamento e sistema de armazenamento. Quando utilizada para fins menos nobres, como regar jardins ou lavar áreas externas, a água não necessita de tratamento sofisticado. Com isso, reduz-se o consumo de água e, ainda, contribui-se com práticas sustentáveis para o planeta.

A ECO ÁGUA possui as tecnologias necessárias para realizar tal atividade. Clique aqui e conheça mais.

5. Reuse a água
Condomínios e empresas podem reaproveitar as águas provenientes dos chuveiros, máquinas de lavar e pias. Em condomínios residenciais, a economia pode chegar a 30% se comparada a prédios que não tem reuso. A Eco Água instala este tipo de sistema.

DETECÇÃO DE VAZAMENTOS: UMA AÇÃO FUNDAMENTAL PARA REDUZIR AS PERDAS DE ÁGUA

No Brasil, a alta incidência de vazamentos nas redes de distribuição é a principal causa das perdas de água, tanto na tubulação pública da rua como nas instalações internas aos prédios, estas de responsabilidade dos consumidores. Estes desperdícios, muitas vezes invisíveis, têm suas consequências imediatas: os aumentos progressivos das faturas de água, esgoto e energia.

Suponha uma família de quatro pessoas cujo consumo normal seria de 15 m³/ mês. Nessas condições a fatura de água seria R$60,00 e a de esgoto R$42,00. Na maioria das vezes, um vazamento subterrâneo começa imperceptível, inclusive ao hidrômetro que não registra vazões muito baixas. Porém, a pressão hidráulica vai progressivamente aumentando a fuga. Com um microfuro de 0.01 mm a vazão perdida chega a 30 litros/hora, ou seja, 700 litros por dia o que corresponde a um volume desperdiçado de 21 m³/mês; nesse caso a fatura da água passa para R$144,00 e a de esgoto para R$100,80. No mês seguinte, se o vazamento não for localizado, é muito provável que ambas as faturas ultrapassem R$1000,00. E assim sucessivamente até o momento em que ocorra o rompimento total da tubulação e a família sofra um desabastecimento.

Todavia, o prejuízo pode ser ainda muito maior. Na maioria das vezes, as “fugas drenadas” - como são comumente chamados estes vazamentos ocultos - solapam a pavimentação das ruas e terrenos podendo causar acidentes sérios e consumir vultosos recursos para a recuperação dessas estruturas. E a solução é uma só: localizar o vazamento o quanto antes.

Nesse sentido, a tecnologia, em especial a eletrônica, oferece alguns equipamentos que auxiliam a detecção como o sensor acústico (geofone eletrônico) para água fria e sensores térmicos para água quente (termosensores). Contudo, o trabalho de localização de vazamentos só é eficiente quando os técnicos que operam os equipamentos têm capacitação específica para isso, o que é alcançada com treinamento e atualização constantes. Por isso, é aconselhável procurar empresas especializadas nesse tipo de serviço. O custo desses serviços é maior que os dos serviços convencionais de hidráulica, mas infinitamente menor que os prejuízos provocados por uma não detecção.

Algumas medidas podem ser adotadas para o controle e redução da ocorrência de vazamentos. Uma delas é o monitoramento eletrônico de consumos, que auxilia o síndico do prédio ou o gerente de manutenção da empresa a vigiar o consumo e quando há ocorrência de alguma irregularidade o sistema identifica o problema e alerta o gestor. Também o treinamento adequado das equipes de manutenção é um importante fator para a redução do consumo e colabora sobremaneira para o USO RACIONAL DA ÁGUA.

A ECO ÁGUA já disponibiliza ao mercado gaúcho tanto a alternativa do monitoramento, quanto o treinamento especializado.

Razões para trocar o hidrômetro normal por um ultrassônico

  1. Comunicação de dados mais precisos;
  2. Detecção de vazamentos;
  3. Montagem em qualquer posição de instalação;
  4. Tempo de vida da bateria de até 16 anos;
  5. Adequado para instalação ao ar livre;
  6. Alarme para possíveis problemas;
  7. Registro de dados para valores de consumo;
  8. Transmissão de dados direto para o fornecedor de água da sua cidade, sem precisar que alguém vá até sua casa mensalmente para medição.